Páginas

quarta-feira, 5 de junho de 2013

O Fim da Inocência, por uma rapariga de 14

A minha filha não lê. Nem imaginam os nervos que isso me dá, mas é a verdade. Nunca houve nada que a tentasse, nem o Twilight. Filmes e séries, mais imediatos, já mastigadinhos, agradam-lhe mais.
 
No outro dia, porém, pediu-me quase de joelhos que lhe comprasse O Fim da Inocência. Tinha uma amiga a ler e tinha experimentado umas páginas. Tendo ouvido falar no livro, o primeiro instinto de mãe protectora foi recusar. Depois lembrei-me de ler o Christianne F., Os Filhos  da Droga, etc, mais ou menos com a idade dela, e lá mandei vir o livro. Leu-o em meia dúzia de dias. E aqui fica, muito a contragosto da rapariga, que não queria opinar, a minha primeira colaboração...
 
A OPINIÃO DA INÊS:

O Fim da Inocência é um livro sobre uma rapariga e a sua adolescência difícil, a adolescência no século XXI. Há muitas maneiras de comunicar e os miúdos ficam a saber mais coisas, que dantes só sabiam mais tarde, e são pressionados pelos amigos para experimentar essas coisas.  
Li o livro muito depressa, porque tem situações interessantes e mostrou-me os problemas que as drogas, as redes sociais e o sexo desprevenido podem trazer. A personagem principal, que se chama Inês como eu, teve durante algum tempo medo de ter HIV, por causa dos seus comportamentos.  Por ser um diário, foi um bocado como se  ela estivesse a falar comigo.
O livro deve ser lido pelos pais, que se calhar não conhecem certos aspectos da vida de alguns adolescentes, mas ainda mais pelos jovens como eu.

3 comentários:

Olinda P. Gil © disse...

Eu nem te digo o calibre do que eu lia aos 12

Carla M. Soares disse...

LOL, Olinda. E eu, às escondidas?

Helga Rosa disse...

Agora tens que mandar vir o segundo... :-)
Confesso que estou curiosa com os livros, talvez um dia...
Beijos
PS - Adorei a opinião, pode (ainda) não ler muito, mas fez uma excelente opinião :-)