Páginas

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A Sombra do Vento - Carlos Ruíz Zafón

Sinopse
Numa manhã de 1945 um rapaz é conduzido pelo pai a um lugar misterioso, oculto no coração da cidade velha: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Aí, Daniel Sempere encontra um livro maldito que muda o rumo da sua vida e o arrasta para um labirinto de intrigas e segredos enterrados na alma obscura de Barcelona.
Juntando as técnicas do relato de intriga e suspense, o romance histórico e a comédia de costumes, "A Sombra do Vento" é sobretudo uma trágica história de amor cujo o eco se projecta através do tempo. Com uma grande força narrativa, o autor entrelaça tramas e enigmas ao modo de bonecas russas num inesquecível relato sobre os segredos do coração e o feitiço dos livros, numa intriga que se mantém até à última página.

Opinião:
Viramos a última página um livro prenhe de sombras e veneno, de premonições e tragédia tão absolutas que nos reviram as entranhas, com a alma embalada e um sorriso de contentamento nos lábios. Como? Que feitiço se urdiu nas suas páginas?  Um feitiço de amor incondicional, uma teia complexa de amargura, culpa, gratidão e redenção, na qual nos enredamos até ansiarmos ao mesmo tempo pelo fim, porque nos pesam as palavras, e por fazê-lo durar, porque o seu peso nos fará falta. 
E depois há a ironia fina e o palavreado grosso, que nos fazem, aqui e ali, soltar uma gargalhada. Há a paixão das palavras, dos enredos, dos mistérios que se descobrem (e cedo o descobri) mas não nos detêm. Há uma sabedoria na voz e nas palavras rudes dos mais pequenos deste mundo, dos mais inesperados iluminados.
Felizmente, já o  terminei. Que pena. 

"-Não se ria, que são as pessoas como ela que fazem deste mundo cão um sítio que vale a pena visitar.
- As putas?
- Não. Putas todos o somos, mais tarde ou mais cedo. Eu digo as pessoas de bom coração" (Daniel Sempere e Fermín)

Não sei se é uma opinião. Mas é o que tenho, ainda com o coração apertado.


13 comentários:

p7 disse...

Se este te deixou assim, experimenta partir para "O Jogo do Anjo"... com o final desse morri um bocadinho cá dentro. :( Gostei imenso de ambos os livros, há qualquer coisa que não sei definir que me prendeu. ;)

Nuno Chaves disse...

Tinha a certeza de que irias ficar assim... agora subscrevo o que disse a P7, quando puderes parte para a sombra do anjo.
Espero que a Planeta nos brinde este ano com a edição Portuguesa de O Prisioneiro do Céu a tão aguardada 3ª parte da tetralogia do cemitério dos livros esquecidos.
Entretanto aguardo também a publicação de o Palácio da meia noite e As luzes de Setembro deste autor.

André Nuno disse...

Carla,
depois de te ler fiquei a sorrir ao imaginar que te sentes exactamente como eu no fim dos livros do Zafón.
É desconcertante, não é?
Concordo com o Nuno. Avança para "O Jogo do Anjo".
Mas recupera o fôlego... és capaz de precisar dele. ;)

André Nuno disse...

Nuno,
não percebo o porquê da demora. Em Espanha já saiu. Acredito que mal seja editado em Português venda como castanhas quentes...
Será preciso esperar muito? :D

Carla M. Soares disse...

Sim, vou fazer uma pausa, ler (para já) este volume levezinho e rápido da Julia Quinn e TENTAR entrar no do Tiago Rebelo... não sei se é bem o que me está a apetecer...

André Nuno disse...

Carla,
percebo perfeitamente.
Lê Murakami enquanto descansas...
;)
(estou a brincar)
[embora tenha a certeza que irias adorar]

LOL

Carla M. Soares disse...

Parece-me que temos por aqui um grande adepto de Murakami...

Sarah disse...

É a primeira vez que deixo um comentário por aqui. Estou a meio do livro e agora ainda fiquei mais curiosa e cheia de vontade de chegar ao fim! Beijinhos

Carla M. Soares disse...

Benvinda!
Este é um livro fantástico, com personagens que são (desconfio) inesquecíveis, não só o protagonista Daniel Sempere, mas também Fermín, Lain Coubert, ou seja... Oops, quase te estraguei a leitura com um SPOILER!! Vais a meio!
Bjinhos

Sarah disse...

:) Tenho uma ideia sobre quem seja esse Lain Coubert na realidade! Vamos ver se tenho razão!

Rita disse...

Este é um dos meus livros preferidos. Muito bem escrito, com descrições fantásticas, que quase nos transportam para Barcelona. :) Além deste ainda só li "Marina" do qual também gostei muito. :)

Ruthy disse...

Olá Carla!
Obrigada por teres passado pelo meu cantinho, vim cá cuscar o que se passa por aqui e gostei muito. Para já vi três livros que estão na calha para ler nos próximos tempos. Este é um deles! Agora ainda fiquei com mais vontade!
Vou passar a ser leitora assídua também do teu blog ;o)

Sarah disse...

Carla,
Finalmente terminei o livro (demorou mais do que eu queria) e agora percebo cada uma das palavras que escreveste neste post.
Aquele último capítulo é delicioso e agora fiquei com aquela sensação que um bom livro me provoca sempre depois de o terminar: um vazio, a sensação de que falta alto, por ter estado tão embrenhada na história e tão habituada àquelas personagens. Agora é partir para outro, para colmatar esse vazio. Beijinhos