Páginas

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

De uma assentada - sassenach e os outros

8409512Quando li o livro Outlander, há uns dois anos, fi-lo de uma assentada, na praia, e foi uma delícia. Sei que reúne crítica suficiente para fazer dele um guilty pleasure, mas, a sê-lo, acolho-o de bom gosto. Tem quase tudo aquilo de que gosto, um toque de fantasia, lendas celtas, uma mulher resiliente e determinada, a Escócia e montes de escoceses de kilt, um herói delicioso, um vilão que dá gosto detestar, alguma História... ou bastante, e uma bela integração na época, que consegui visualizar muito bem - tudo, excepto a espécie de triângulo amoroso, coisa que me irrita sempre. Essa foi a razão para não pegar nos seguintes, sei que Claire, a heroína, vai andar para trás e para a frente entre um tempo e o outro e um homem e o outro, o que deve ser historicamente interessante, mas me enerva. Fiquei com o fim do primeiro livro, e pronto.

Ao ouvir falar na série, fiquei curiosa, claro! Li umas opiniões e lá fui eu, pedir a quem sabe que me arranjasse o que há desta season... são 8 episódios, que só terão continuação em Abril de 2015, depois da pausa habitual nestas séries. Fiquei com 5 gravados, com a intenção de que me durassem cinco dias - até ao fim de semana. Bonita intenção. Deitei-me na minha caminha com o computador no colo e phones, já tarde, para ver o primeiro... e vi 3! Ontem, repeti a dose com os 2 que me faltavam, e comprovei o que já sabia: a Escócia é será sempre fascinante para mim. 

A série em si enche-me as medidas pelos mesmos motivos do livro, e apresenta uma certa densidade inesperada, imaginei que seguissem o caminho oposto e aligeirassem a história. Para além disso, as personagens centrais são muito likeable (não há nada, nadinha para não gostar em Jamie, sorry, e a própria Claire é quase mais interessante do que a do livro, tem mais fogo), e mergulha-se em cada época com bastante verosimilhança. Claro que dessas épocas sei apenas o que li em livros e vi em filmes, mas pouco importa: se consigo sentir-me lá, e quase sinto as texturas e os cheiros, então não tenho nada a apontar. O século XVIII na escócia devia ser frio, duro, mal-cheiroso, difícil, ruidoso, sangrento, mas ao mesmo tempo... bom, fascínios são o que são. Já tendo lido o livro há algum tempo, não estou certa se as minhas impressões quanto às diferenças estão certas (será que vou ceder ao impulso de reler o tijolo só para descobrir?), creio que, no essencial o que é do livro está na série, se respeitam as personagens, etc, mas fiquei com a impressão de que na série há maior hesitação entre século XX e século XVIII, que Frank, o marido de 1946, é mais interessante e os sentimentos de Claire por ele mais fortes - no livro, fiquei com a ideia de que a dúvida dela era mais moral do que emocional - e que ela procura com mais desespero regressar ao seu tempo. Teria que reler com isso em ideia, para esclarecer.

Não faço ideia se é ou não uma boa série, nem quero saber. Vistos os primeiros 5 episódios, I'm hooked, como sabia que ficaria. Vou ver os outros, provavelmente de uma assentada (rezo para que não se entre no disparate de repente, a estragar tudo) e esperar por Abril do ano que vem. E não, mesmo assim não ou ler os livros seguintes. Não me apetece ver Claire com o Frank do livro, de volta ao século XX. Sou mesmo fã do escocês, que vergonha...    
  



2 comentários:

Lina - Marilina Fernandes disse...

Olá,
Gostei de ler a tua opinião. Estava com medo de ter spoilers, mas não.
Eu ainda estou à espera que o 1o volume chegue da wook para ler e em seguida ver a série.
:)

Carla M. Soares disse...

Tento sempre não "estragar" o que os outros podem ainda não ter visto. Espero conseguir a maior parte das vezes. ;)

Boa leitura!