Páginas

sábado, 6 de julho de 2013

S. Jorge e os Dragões de Ignacio

"Sob um ceu esmaltado, recortado contra um horizonte de montanhas, um cavaleiro de armadura reluzente enfrentava o dragão que mantém aprisionada a donzela. Até aqui, nada de invulgar. A peculiaridade da obra residia nuns quantos pormenores que não se notavam logo à primeira vista. O primeiro encontrava-se no facto de o dragão parecer ter encurralado o cavaleiro, que desferia estocadas como um desesperado. O segundo era que a donzeçla, à entrada da gruta que o monstro usava como covil, não parecia assustada ou aflita; não que houvesse um sorriso, ou um gesto, era mais a sua aura, a titude serena com que contemplava a acção." 
(A Arte de Matar Dragões, pág.25)


Este quadro que Ignacio del Valle descreve é provavelmente inventado, para servir à narrativa, e teria sido pintado por autor desconhecido, durante o trezento - época em que o pintor era ainda um artífice e não assinava a obra. No entanto, resguardadas as diferenças, a inspiração é de época e esteve em muitos quadros pintados na Idade Média ou, como estes, no início do Renascimento. Vejam estes S. Jorge e o Dragão...
Saint George slaying the dragon, as depicted by Paolo Uccello, c. 1470
Paolo Ucello, c.1470

Jost Haller, 1445

2 comentários:

Olinda P. Gil © disse...

Gosto tanto desta história!

andre disse...

Tenho uma prenda para ti :)

http://saboreiaoslivros.blogspot.pt/2013/07/selos.html