Páginas

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Quem me responde a uma pergunta sem resposta?

O que faz um bom livro, afinal?
 
Há quem precise de intrigas convolutas, da confluência de muitas histórias. Há quem prefira seguir uma linha. Há quem goste de ser surpreendido. Há quem goste do conforto da previsibilidade. Há quem prefira um tom amargo. Há quem prefira fins felizes.
 
Há quem se apegue às personagns. Há quem as ache secundárias à intriga. Há quem as queira humanas. Há quem goste delas obscuras. Há quem precise de heróis.

Há quem não ligue à escrita, se a história for boa. Há quem não ligue à história, se a escrita for boa. Há quem goste de exercícios de linguagem. Há quem goste de filosofia. Há quem goste complexidade. Há quem goste de simplicidade. 
 
Há quem goste de policiais. Há quem goste de histórias de amor. Há quem queira encontrar reflexos da alma humana. Há quem prefira aventuras. Há quem goste deles realistas. Há quem goste de fantasia.
 
Há quem não goste nada disso. E há quem goste de tudo um pouco.
 
Há gostos para tudo, afinal.
 
E para quem escreve, mil perguntas. Mil dúvidas, mil inseguranças.
 
 
(e uma nota tardia para dizer que nenhuma destas dúvidas condiciona ou deve condicionar o trabalho do autor, que é o primeiro leitor e o que primeiro deve ficar satisfeito com o seu trabalho. Mas quem não sente não é boa gente, e só quem não respira é que nunca tem hesitações sobre o que anda afinal a fazer...)
 
 
 
 

6 comentários:

Ray* disse...

Acho que é verdade :) eheheh depende também do contexto em que ocorrer a leitura, do estado de espírito do leitor, etc etc... Há alturas em que o leitor pode gostar de x, mas no segundo a seguir gostar de y...

Muito complicado, às vezes, o trabalho de um escritor -.-

d311nh4 disse...

Já deste a resposta: escrever primeiro para ti e depois há de haver quem goste e quem não goste, como tudo na vida ;)

Maria João disse...

olá
tens selinho no meu blog :)

Alexandra Rolo disse...

allo
olha deixei-te um selinho no blog
http://livrosportodolado.blogs.sapo.pt/83221.html

André Nuno disse...

Carla,
o que faz um bom livro? Talvez o leitor.
Para mim um livro tem que ser escrito com cuidado, numa linguagem não repetitiva, com uma história que me prenda quer este me surpreenda muito ou nada. Um bom livro dá prazer a quem o lê. O que dá prazer ao leitor depende de cada leitor e não tanto de cada livro...
Digo eu!
:)

Ana C. Nunes disse...

Costuma-se dizer que há tantos gostos, quanto pessoas; tantas opiniões, como leitores. E o mais engraçado é que a nossa apreciação de um livro pode ser muito diferente, conforme o nosso estado de espírito ou a idade com que o lemos. A complexidade humana no seu melhor.