Páginas

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Darkfever - Karen Marie Moning

Tinha ouvido falar tanto por aí destes livros e da personagem masculina, Barron, que parti com alguma expectativa para o início desta saga, e agora estou muito dividida quanto ao que penso dela. Vamos por aspectos positivos e negativos, portanto, começando pelos positivos.
 
Positivos:
A personagem feminina, que não é branco nem preto, nem só o cor de rosa de que ela tanto gosta não é nenhuma badass automatica, nem uma completa southern belle cabeça de vento, não se rende nem cai de quatro por qualquer macho jeitoso (a não ser por artes mágicas). Irritou-me um pouco a insistência apenas na descoberta do assasino da irmã, quando the sky was falling, mas suponho que posso dar-lhe um desconto: é muita coisa para uma rapariga encaixar! Tem a sua própria vontade e um nariz empinado. Sim senhora.
 
A construção do mundo paralelo e a imersão progressiva da personagem nele. Só levantam o véu, mas parece interessante.
 
Apesar de ser na primeira pessoa e de acompanharmos muito do que a personagem pensa, a escrita é dinâmica, não custa nada a ler e diverte.
 
Negativos.
Ora bem, começo pelo que mais me incomodou. Eu sei que isto é uma saga, são pelo menos 5 livros. E sim, numa saga alguma coisa tem que ficar por explicar... mas tudo?! Até percebo a intenção da autora, fazer-nos continuar, e resulta, vou ler o seguinte e até já mandei vir os dois a seguir. Nada está explicado aqui, não há solução para coisa nenhuma, só se abre uma frestinha de um grande portão. Nem todos apontariam isto como um aspecto negativo, mas gosto de ter essa opção, continuar ou não continuar, e se não quiser continuar, ficar satisfeita com o que sei. Estes livros dão-me sempre o receio de que, se a saga for descontinuada ou eu me esquecer de como se lê entretanto, nunca venha a saber como acaba.
 
Então toda a gente gosta do Barrons? Prepotente, mandão, misógino? Quero, posso e mando e a menina faz o que eu disser? Reservo a minha opinião para próximos volumes, pode ser que ele se revele, mas mim até aqui não me parece nenhum sonho, o que ele é é um pesadelo! A ceninha incongruente em que ele pinta a unhas à jovem (juro que não percebo, conheço muitos homens razoáveis e não vejo nenhum a meter-se nisso) dá-me esperança de que haja ali mais qualquer coisa, mas por ora... blagh.
 
E pronto. No conjunto diverti-me, que era o que procurava, como já disse vou prosseguir com as cenas dos próximos capítulos. Espero não me fartar... já agora, o 5º volume, Shadowfever, é o último, ou é daquelas sagas que nunca mais acabam?
 
Ah, e reservo leituras de Highlanders para quando tiver a certeza de que nem todos os homens da Moning são o que o Barrons mostra neste primeiro. Deus me livre!
 
Sinopse:
"My name is MacKayla, Mac for short. I'm a sidhe-seer, one who sees the Fae, a fact I accepted only recently and very reluctantly.
My philosophy is pretty simple - any day nobody's trying to kill me is a good day in my book. I haven't had many good days lately. Not since the walls between Man and Fae came down. But then, there's not a sidhe-seer alive who's had a good day since then."

When MacKayla's sister was murdered, she left a single clue to her death - a cryptic message on Mac's cel phone. Journeying to Ireland in search of answers, Mac is soon faced with an even greater challenge: staying alive long enough to master a power she had no idea she possessed - a gift that allows her to see beyond the world of man, into the dangerous realm of the Fae...

As Mac delves deeper into the mystery of her sister's death, her every move is shadowed by the dark, mysteriou Jericho...while at the same time, the ruthless V'lane - an alpha Fae who makes sex an addiction for human women - closes in on her. As the boundary between worlds begins to crumble, Mac's true mission becomes clear: to find the elusive Sinsar Dubh before someone else claims the all-powerful Dark Book - because whoever gets to it first holds nothing less than complete control both worlds in their hands.
 

1 comentário:

Catarina Abreu disse...

Posso dizer que fiquei contente por não gostares do Barrons, posso?

É que assim fica mais para mim *_*

E sim, ele é mandão mas tem algo mais xD