Páginas

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

eu vejo uma coisa e tu vês outra

E se a raíz do mundo depende dos olhos da alma,
e eu vejo uma coisa e tu vês outra,
porque não hão de ser tão reais aqueles mundos
que estão na minha cabeça,
como esse que é permanentemente mutável?
 
É que este em que vive o meu corpo
cansa-me e aborrece-me.
 
Os outros não.
Sonja Tines, Trauma Cerebral
 

1 comentário:

Ray* disse...

Tenho andado para vir comentar e não tenho tido tempo :P

Adorei, como sempre :D e concordo plenamente!