Páginas

terça-feira, 30 de outubro de 2012

no momento o grito

O Rapto de Proserpina, Bernini (pormenor)
é uma suspensão
o tempo parado quieto
entre uma respiração e a outra
uma gota escorre
um rio de sal
no vale entre as colinas
ergue-se a planície
arqueada no momento
perfeito exacto fugaz
do terramoto
desaba por dentro
implode um sol
luz nos recantos longínquos

e no momento o grito
e depois o silêncio arquejante
e o adeus dos corpos

1 comentário:

Olinda P. Gil © disse...

É isto que considero um bom poema erótico