Páginas

sábado, 2 de junho de 2012

Branca de Neve e o Caçador

Devo começar por dizer que adoro re-tellings de contos de fadas e contos tradicionais.  Por isso quando aparece uma no cinema, em geral vou vê-la entusiasticamente, na esperança de não me desapontar. (Nem me falem do Era uma Vez, que tenho para ver há tanto tempo, e parece que nunca mais lá chego)

Gostei muito deste re-telling do conto da Branca de Neve, um dos que conheço com mais malevolência e um potencial mais sangrento, que a Disney se encarregou, há tantos e tantos anos, de transformar numa coisinha cor de rosa. Não nego o valor desse filme, mas dá-me prazer ver uma versão para maioes de doze.

A história base a mesma, rainha-bruxa-má de beleza extraordinária (linda, a Charlize Theron), com espelho mágico a quem pergunta, como é da praxe, "Mirror, mirror on the wall who's the fairest one of all?" Há um caçador, uma floresta... eu diria duas, radicalmente diferentes, anões e um príncipe (que é filho do duque e amigo de infância). E uma maçã envenenada. E pronto, creio que terminam aí as semelhanças, porque... porque... não posso. Recuso qualquer SPOILER.

Muito bem... digamos que o filme merecia uma Bela menos Bella, que me tivesse feito lembrar menos vezes a personagem do Twilight. Não é horrível, aqui e ali, vá, pronto... mas com a mesma entoação, por vezes parecia-me que estava a ouvi-la falar com outro herói do Fantástico, um com dentes afiados e pele brilhante (?!).  Enfim, ela é branca e bonita, com uns belos olhos, agora no seu tom natural, e lábios vermelhos e tal, mas não convence como the fairest one of all... mais do que a Theron?! E como guerreira, ainda por cima? Hummmm.

De resto, a versão é interessante, com uma construção dinâmica com uma impressão de Idade Média, que preserva aquele fairy-tale feel que tanto aprecio. A magia está lá, a negra e a outra. Os 'maus' são credíveis, a rainha terrível e ao mesmo tempo sofredora, os anões não têm nomes de espirro nem de sentimentos (gostava de tê-los visto ainda mais um bocadinho), o princípe não aparece apenas no fim para beijar a desgraçada da ingénua, e o caçador... espera, faço um ponto só para o caçador.

Viúvo e um bocado beberolas, a precisar da bela da banhoca em quatro quintos do filme, o que, coisa estranha, até lhe fica bem.  O princípe de serviço - filho do duque - não está mal de todo, agradou muito à minha teenager, mas o caçador... what a fine hunstman he is!


Posso... hummm, não resisto: sim, forma-se a certo momento um triângulo amoroso insípido. O fim é e não é não é o typical fairy tale ending, se calhar porque o papel da heroína é talhado à imagem de uma mulher dos século XXI, que não fica à espera de ser salva pelo herói num cavalo branco.

Já agora, há mesmo um cavalo branco. Durante algum tempo.

8 comentários:

p7 disse...

Ai, toda a minha relutância em ver este filme parte mesmo da Kristen, e pelo que descreves é algo justificada. O filme parece tão giro, e com outra actriz seria fantástico, mas ganhei uma embirração tão grande à rapariga... xD Se bem que o ameaço de triângulo amoroso também não me deixa animada. *vai ver o trailer para mudar de ideias e ganhar coragem :P*

Carla M. Soares disse...

Não te detenhas por causa do tal triângulo, é mesmo só um ameaço, coisa sem importância no meio daquela ação toda. Já a Kristen,está igual a si própria, o que não é grande coisa. Mas mais bonita, apesar de muito sujinha,eheheheh.

jen7waters disse...

Eu não me consigo decidir se há triângulo amoroso ou não... acho que não é bem bem... porque não me pareceu que a Snow gostasse do Huntsman dessa maneira, e idem para o Huntsman em relação à Snow. Acho que ele só gostava dela porque de certa maneira ela o "cura", e ela dele porque ele a ajuda. Para além de que ela atira-se mesmo é ao William. Claro que depois vem AQUELA cena de que não devemos falar para não spoilar os outros visitantes, mas ainda assim não me convenceu, acho que "aquilo" deu resultado porque ele amava tanto a mulher. Meu pobre Huntsman... :3

Carla M. Soares disse...

Mas e então aquilo mesmo no finzinho, quando, apesar da coroae tudo, ela só perde o ar de stress e infelicidade quando a criatura aparece? A mim pareceu-me bem sugestivo, associado à tal cena de que não falamos para não estragar...

p7 disse...

Creio que não falar dessa cena é o mesmo que falar, porque eu estou pr'aqui a imaginar todo o tipo de cenários. xD

Carla M. Soares disse...

heheheheheheh, vai ver o filme e julga por ti própria. XD

jen7waters disse...

@Carla I know, o fim é suspeito, assim como algumas trocas de olhares pelo meio... but I don't know... I don't know... (*.*)

@p7 go see the movie!!

Liliana Lavado disse...

É sempre bom saber que não estou sozinha no fraquinho por re-tellings :)
Embora eu seja mais "Bela e o Monstro" kind of girl tenho de admitir que quando vi o trailer deste filme gostei da visão "não tradicional" sobre a história.
É bom saber que a "moça" parece não ter dado cabo da pelicula… :P